quarta-feira, 6 de abril de 2016

Visita e entrevista à Arquivo

Foi através da pesquisa por locais que comercializassem, em Portugal, os objectos de escrita da Kaweco que tomámos conhecimento da Arquivo.



A primeira visita que fizemos ao espaço foi enquanto consumidores, à procura de uma edição especial da Moleskine Star Wars que  nos disseram estar esgotada em todos os outros locais de venda habituais. Ficámos agradados com os espaço e com a quantidade de objectos de escrita (para além de livros, claro) que a Arquivo vende. Encontrámos o Moleskine que procurávamos bem como numerosas Kaweco. Por tudo isto e pela simpatia dos funcionários achámos que seria o local ideal para fazermos uma pequena entrevista sobre o conceito e a história do espaço.





Assim fizemos. Enviámos um e-mail a apresentar o blog e a explicar o que pretendíamos fazer. Obtivemos rapidamente resposta e agendámos o encontro, passados poucos dias, na livraria.
No dia combinado fomos recebidos por Susana Neves que nos fez sentir em casa. Sentámo-nos a uma mesa e iniciámos o a entrevista que, em seguida, transcrevemos.



Objectos de Escrita (OdE) -Quando é que a Arquivo foi fundada?
Arquivo - Em 1980 e refundada no ano 2000.
OdE - Mas fechou entretanto?
Arquivo - Não, só não era neste espaço; era na mesma rua, uns 300 m mais abaixo. Era uma livraria e não tinha o café, nem a galeria. Estamos nestas instalações desde 2000, com este novo conceito. Para além de livraria temos também um auditório que funciona também como galeria, o café que é muito importante para nós, e um espaço infantil.
OdE - Porque é que escolheram este conceito de não ser apenas uma livraria mas de ser também um pequeno pólo cultural?
Arquivo - Exactamente, um pólo cultural e sobretudo uma casa de afectos, também. A Livraria Arquivo faz parte do grupo Movicortes. Foi fundado pelo Eng. Ribeiro Vieira e o objectivo da livraria é não ser apenas um negócio, pretende ser um ponto de encontro. Pode parecer pretensioso mas pretende ser um ponto de referência cultural aqui em Leiria, pelo menos um ponto de encontro. Esse papel é muito importante, o papel cultural. Temos uma agenda cultural mensal. Temos apresentações de livros, temos workshops. Não somos só um negócio, não vendemos só livros. Estamos sempre receptivos a novas ideias de actividades, a novas propostas. Porque também é esse o nosso papel na comunidade, em Leiria.



OdE - Qual a vossa ligação à cidade de Leiria?
Arquivo - A ligação à cidade de Leiria é muito forte. E é uma prioridade. Muito do que fazemos está ligado a Leiria.
OdE - A ligação é tão forte que esta livraria em Lisboa, por exemplo, não faria sentido?
Arquivo - Faria sentido, não com o mesmo conceito, evidentemente, adaptado a uma outra realidade mas, neste momento, a Arquivo é uma Livraria de Leiria que trabalha para a comunidade de Leiria. Mas não quer dizer que esteja fechada, nada disso. Não queremos isso, pelo contrário...
OdE - Aliás, vocês têm uma óptima visibilidade nas redes sociais, a vossa página de Facebook é muito activa...
Arquivo - Sim, o Facebook é também uma forma de chegar a algumas pessoas que não vivem em Leiria.
OdE - Talvez essa divulgação faça com que algumas pessoas que não sejam de cá façam quilómetros para adquirir um produto que saibam que aqui existe. Falando de marcas... A Kaweco, sei que vendem a marca em Portugal. Desde há quanto tempo e qual a importância desta marca?
Arquivo - Desde há três anos. É uma marca de referência, pela qualidade do material, pela relação qualidade/preço - factor muito importante. Possui um gama mais acessível e também tem uma gama mais cara, mas mesmo assim continua a ser uma relação muito boa. E o design, claro, porque, para quem gosta, o design é muito importante.



OdE - Porque aquelas pequenas (Kaweco Sport) são muito fáceis de guardar no bolso e o próprio aspecto...
Arquivo - Exactamente, e até pela própria caixa.
OdE - Qual é a vossa percepção de quem compra mais esta marca: pessoas mais novas, mais velhas, há algum padrão?
Arquivo - Não há um padrão. Há as pessoas que já conhecem a marca e que vêm aqui e dizem que foram informados (pela própria marca ou viram pelo Facebook) de que somos o único espaço físico onde está à venda e vêm especificamente à procura da marca, da Kaweco. Há outras pessoas que chegam e acham piada e pedem mais informações e fazem mais perguntas, qual é a origem da marca, querem saber os diferentes artigos e preços e quem compra uma vez costuma voltar a comprar.
OdE - Acho que é fácil, mesmo não se sendo coleccionador, querer ter mais do que um exemplar ou mesmo comprar para oferecer...
Arquivo - Ou mesmo para oferecer, exactamente. Posso dizer que são mais homens.



OdE - Para além da Kaweco que outras marcas de objectos de escrita comercializam? Sei que a Moleskine também é aqui vendida [já aqui encontrámos exemplares de edições limitadas que nos disseram não estar disponíveis em Portugal]...
Arquivo - Nós somos os distribuidores da Moleskine para Portugal, para todas as outras lojas. Somos também distribuidores da Taschen, apesar de esta não ser uma marca de objectos de escrita.
OdE - Para além destas, vendem algumas outras marcas, quer de blocos de notas, quer de canetas?
Arquivo - Temos também a Nava. É uma marca italiana. Tem sobretudo blocos de notas e agendas. Temos também outras marcas de canetas, como é o caso da Lamy e da Cross, embora tenhamos apenas alguns exemplares de cada uma.



OdE - É curioso que a Lamy é, presentemente, a marca mais consultada no Objectos de Escrita, logo seguida pela Kaweco. Sei que a Safari é um dos modelos mais populares...
Arquivo - Sim, se bem que a partir do momento em que começámos a vender a Kaweco, as vendas da Lamy tenham descido. Posso dizer que a marca mais vendida actualmente é mesmo a Kaweco, a seguir à Moleskine, claro.
OdE - Este conceito de uma livraria tão profundamente ligada ao prazer não imediato mas muito real da cultura e dos próprios objectos de escrita contribuiu para que fosse realizada na Arquivo a primeira de uma série de entrevistas que pretendemos realizar. Muito obrigado por nos terem recebido.
Arquivo - Muito obrigada por se terem lembrado da Livraria Arquivo. Foi um prazer recebê-los.

Recomendamos vivamente uma visita a este espaço, quer seja para comprar livros ou objectos de escrita, ver uma exposição ou beber um café, estudar ou assistir a um lançamento de livro. Na Arquivo gostam de nos receber há sempre motivos de interesse e novidades.


Agradecemos uma vez mais à Susana Neves e à Arquivo toda a colaboração que permitiu a elaboração desta publicação no nosso Objectos de Escrita.




A Arquivo situa-se em Leiria, na Avenida Combatentes da Grande Guerra, 53.
Pode consultar informações sobre a Arquivo na sua página de Facebook.




2 comentários:

  1. Espaço privilegiado onde gosto de me perder quer seja para comprar livros, para as várias tertúlias ou ainda para adquirir uma das minhas paixões, objectos de escrita e, claro também, Kaweco.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo seu comentário. Espero que a nossa descrição da experiência da visita à Arquivo corresponda ao seu sentimento por este espaço. Foi com grande satisfação que encontrámos nesta livraria um tão grande profissionalismo e dedicação à Arquivo, à cultura e à cidade de Leiria.

      Eliminar