terça-feira, 28 de junho de 2011

Tomada de posse do XIX Governo Constitucional (21 de Junho de 2011)

Uma das coisas interessantes de uma tomada de posse é a necessidade de assinar o livro oficial. E como será de esperar, algumas das pessoas que lá vão colocar a sua assinatura escolherão a caneta que mais possa impressionar os inevitáveis espectadores.

Num vídeo colocado no Youtube podemos assistir a toda a cerimónia e tentar identificar as canetas através dos grandes planos no momento de cada uma das assinaturas.

Em 13 assinaturas (11 ministros, Presidente da República e Primeiro Ministro) constatamos a utilização de (se não me falha a capacidade para distinguir as marcas) quatro canetas da Montblanc (Passos Coelho, Cavaco Silva, Aguiar Branco e Mota Soares). Foi esta a marca mais utilizada.

Nas mesmas 13 assinaturas foram usadas apenas 4 canetas de tinta permanente – 2 da Montblanc (Aguiar Branco e Mota Soares), 1 da Omas (Miguel Relvas) e 1 Parker 75 (Nuno Crato). Realço as canetas de tinta permanente por serem o meu objecto de escrita predilecto mas devo confessar que apesar de tudo senti-me surpreendido por ver uma esferográfica pouco usual nestas cerimónia, uma Caran d’Ache (nas mãos de Vítor Gaspar).

Da mesma forma não posso deixar de realçar o pormenor curioso desta tomada de posse, protagonizado pelo aparentemente pouco habituado a escrever com canetas de tinta permanente, Pedro Mota Soares. Arrisco classificá-lo como utilizador pouco usual por dois motivos; primeiro porque a caneta não escreveu quando a encostou ao papel; algo típico em utilizadores que dão pouco uso a este tipo de canetas; e segundo pela forma como decidiu resolver o problema: agitou-a para que a tinta afluísse ao aparo, algo que um utilizador experiente não faria, sob o risco de encher todo o livro de assinaturas de uma imensa mancha de gotas de tinta. Felizmente nada aconteceu de desastroso e acabou por conseguir assinar o livro com a esferográfica “oficial” do evento, uma Parker Jotter.



Imagem retirada do vídeo da tomada de posse. Momento da assinatura de Pedro Mota Soares com a esferográfica Parker Jotter (a caneta oficial/de recurso para esta tomada de posse).

1 comentário:

  1. Lembro-me de ter visto à época estas imagens. O uso das Montblanc é quase obrigatório. Lembro-me igualmente do episódio de Mota Soares, típico de quem não usa caneta regularmente. Recentemente vi a chanceler alemã com uma Parker Vector preta, o presidente russo com uma Mb 146, o antigo rei de Espanha com uma Mb "Catarina a Grande" e o presidente francês com uma Waterman Expert negra. Diz-me o que usas e dir-te-ei o que és...

    ResponderEliminar