quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Coleccionar objectos de escrita obriga a não os usar?

Não necessariamente. É até bastante comum um coleccionador começar por ser um utilizador que colecciona fundamentalmente os objectos que usa e que gosta de usar.

Pela sua própria natureza há objectos de escrita coleccionáveis mais utilizáveis do que outros. Por definição, os objectos de escrita consumíveis (como tinteiros, blocos e cadernos) embora coleccionáveis não são tão utilizáveis como outros - canetas lapiseiras, esferográficas - sem destruírem a colecção em si mesma.

Parker 100, nova e nunca utilizada

No caso das canetas de tinta permanente podem existir duas abordagens diferentes fundamentadas na valorização da colecção - canetas em estado novo (nunca utilizadas) possuem um valor intrínseco superior a outras já usadas (a menos que tenham sido utilizadas por alguma personalidade de destaque ou em alguma situação histórica importante). Isto é particularmente verdadeiro para as colecções que contêm exemplares de edições especiais ou edições limitadas.

Kaweco AL Sport Stonewashed (aspecto usado de fábrica) com uso diario

Para quem colecciona canetas antigas torna-se mais complicado encontrar exemplares não utilizados, levando frequentemente os utilizadores a procurar o restauro e a utilização dos elementos da sua colecção.

O coleccionismo é fundamentalmente um reflexo de um gosto. É, por isso, difícil para grande parte dos coleccionadores resistir à utilização dos objectos alvo de interesse. Não há uma regra e certamente não há problema nenhum em ser-se um coleccionador/utilizador.

Sem comentários:

Enviar um comentário