quinta-feira, 19 de maio de 2016

Fábrica Produtos Coração

Regressamos à colaboração com José João Peixoto Moura para escrevermos sobre a Coração.


Por serem escassas as informações, fotografias e quaisquer outros materiais sobre estas marcas de objectos de escrita pedimos aos nossos leitores que nos enviem toda a informação que possam ter sobre este assunto e que queiram partilhar connosco e com o nosso autor convidado para objectosdeescrita@gmail.com. O Objectos de Escrita garantirá o reencaminhamento de qualquer informação, documento ou material para o autor dos textos para que este possa continuar o seu valioso trabalho de pesquisa e documentação da história dos objectos de escrita nacionais.




Fábrica Produtos Coração


Fundada em 1928 no Porto por Albrecht Löbe, um alemão que se dedicava-se ao fabrico de produtos para uso doméstico como químicos de desinfestação, limpeza de metais e tintas para tecidos, sendo todos estes os produtos que mais se destacaram e alguns ainda hoje prevalecem no mercado, como o famoso limpa metais CORAÇÃO. Também eram produzidos artigos de escrita e para escritório como clipes, pioneses, agrafes, elásticos, borrachas de apagar e canetas entre outros prováveis artigos. São os produtos deste segmento os menos conhecidos da marca.



A marca CORAÇÃO só foi registada em 1930 e em 1933 foi feito registo do nome Fábrica de produtos Coração que a partir de 1938 passou a ser gerida pela firma Albrecht Löbe & Companhia. A partir de 1945 passou para a designação em nome individual de Alberto Guimarães e que permaneceu até finais da década de 70 ou inícios de 80 , data a parti da qual foi feita cedência de quotas a António Queiroga e este transferiu as instalações para Braga, ficando na sua posse até 2012.



A história da Fábrica Produtos Coração, já se encontra amplamente documentada por pessoas que se dedicam também a publicar e documentar empresas que foram relevantes no quotidiano dos portugueses. À Dª. Ana Marques Pereira, do blogue garfadasonline.blogspot.com, muito obrigado, pois facilitou um contacto direto com a Dª Cristina Guimarães Madureira, neta do fundador a quem também agradeço, porque teve a amabilidade e cuidado em recolher a informação que lhe foi possível junto do seu pai, genro de Alberto Guimarães que trabalhou como engenheiro na fábrica e acompanhou o Sr. Alberto Guimarães em inúmeras viagens de trabalho, sendo conhecedor dos produtos que também já tinham sido produzidos.


A divulgação de mais estes produtos que vão ser apresentados irá ficar incompleta seguramente. Ficamos receptivos aos contributos de quem possuir e quiser partilhar o seu conhecimento sobre outros artigos por eles produzidos.




A informação constante neste artigo foi-nos enviada por José João Peixoto Moura.

Sem comentários:

Enviar um comentário