segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Parker Ingenuity

Após a possibilidade de experimentar a caneta Ingenuity, da Parker, no El Corte Inglés, segue-se a sua crítica.


A Ingenuity é um objecto de escrita muito bem desenhado, apresentando uma escolha feliz de materiais. Fundamentalmente de metal, é uma caneta pesada, com um acabamento mais suave, a fazer lembrar borracha. O conforto na escrita é por isso grande, sendo previsivelmente uma caneta adequada a longos períodos de escrita.

No que respeita à ponta responsável pela escrita é que a caneta perde uma parte do crédito conseguido à custa da sua construção e design. Observando atentamente verifica-se que a extremidade que assenta no papel é uma ponta de feltro quase totalmente coberta por uma peça metálica que simula um aparo. Apresenta também uma espécie de alimentador que terá uma função apenas ornamental. Creio que também o “aparo” tem um propósito ornamental e orientador: faz com que se segure a caneta sempre da mesma forma, provocando uma habituação da ponta de feltro à forma de escrever mais usada pela utilizador, ao contrário do que acontece com as restantes canetas de ponta de feltro.

Como ponto muito positivo tenho de referir o fluxo de tinta que a ponta de feltro produz, que se assemelha ao de várias canetas de tinta permanente.

Resumindo: A Ingenuity é uma caneta robusta e elegante mas cara, principalmente se atendermos ao facto de ser, no fundo, apenas uma caneta de ponta de feltro. Deverá ficar, no entanto, registada a eficácia desta nova recarga de tinta que poderá ser utilizada noutros objectos de escrita da marca no futuro.






Sem comentários:

Enviar um comentário